LOGO_V_05_sem%20arquitetura-04_edited.pn

a Escola Bloco B

Estamos em constante busca por novos terrenos, por territórios a serem explorados. Em cada terreno consolidamos alicerce, por meio de parcerias e colaborações. Nossos pilares são o ensino e a prática de projeto. Nossas lajes são cada etapa concluída:  eventos, cursos, debates, ações e todas as atividades que empreendemos pouco a pouco. Portanto nossas lajes são artesanais, edificadas para alcançar a próxima laje. Não há limite de pavimentos. 

Nossas paredes existem, mas são envidraçadas. Elas são nossos limites, sem que se imponham rígidas. Do contrário, sempre mantemos em vista novos horizontes, novos terrenos. Na construção dessa escola fizemos o compromisso com o tema ‘expandir fronteiras’, transformando paredes em janelas, interfaces com territórios outros. 

expandir fronteiras 

Queremos trazer para o debate o estudo de arquiteturas e correntes de diversos lugares, discutir modos de fazer, técnicas e temas que nem sempre são usuais para nós. Expandir fronteiras também significa pesquisar e encontrar essas parcerias. Para a agenda de 2020, buscamos colaborações de colegas de profissão, de artistas, bem como de integrantes do setor da construção civil, pois entendemos a importância da atuação de diversos profissionais que estão presentes no campo da arquitetura. Afinal, se estamos falando de ensino estamos falando dos conhecimentos que se somam ao nosso e que ganham sentido dentro de um universo humanista onde atua o arquiteto e urbanista. 

histórico:

ações e debates 

O Bloco B foi responsável por encabeçar algumas ações, cuja proposta é lançar oportunidades de ocupação da cidade como um território de arte, cultura e lazer, bem como de cidadania e educação. Algumas dessas ações foram realizadas com suporte de editais – a partir deles conseguimos recursos para estruturar eventos de maior porte e alcance. Assim, podemos contribuir com a cidade a partir da nossa formação, repactuando o nosso compromisso com uma prática profissional que seja socialmente engajada. 

Ainda, desde sua fundação, o Bloco B organizou cursos e debates com temas variados, realizados pelas sócias ou em parceria. Nosso ímpeto era incentivar a construção do pensamento crítico, da autonomia e, principalmente, do debate, pois é nele se calça a experiência de aprendizado e troca de conhecimentos. Sobretudo, queríamos seguir estudando e nos atualizando a partir de múltiplas contribuições. E é assim que perseguiremos os nossos ideais de ensino e formação em arquitetura, entendendo que esta não termina com o ciclo da graduação. 

objetivo

O objetivo da Escola Livre de Arquitetura é realizar cursos e eventos de apoio à formação da/o arquiteta/o, com a proposta de formação continuada, trazendo profissionais de diversas áreas e localidades do Brasil. A formação continuada é complementar à graduação e interessa àqueles que estão dentro ou fora da universidade. 

Não é nossa intenção concorrer com o ensino acadêmico ou mesmo resolver as falhas dos cursos de arquitetura dentro das universidades. Buscamos o ensino complementar e, para tanto, também contamos com a produção acadêmica e com a colaboração de pesquisadores, professores ou estudantes, em um diálogo que leve contribuições para os dois lados. Entendemos também os limites entre a pratica profissional e a academia, não como uma dualidade, mas como lugares de formação e atuação do arquiteto, cada qual com a sua contribuição. Dessa forma, acreditamos que a principal colaboração de um escritório de arquitetura para o debate acerca da formação do arquiteto é a imersão diária na prática projetual. 

Desde que fundamos o escritório, continuamos a perseguir a teoria e a buscar campos de ação como alimento para a pratica projetual. A partir desse tripé: teoria, prática e ação, estamos organizando uma agenda de atividades em diferentes formatos que resultem dessa inquietação e que se somem no processo de ensino e aprendizagem. 

  • Facebook
  • Instagram